Suicídios aumentam 110% em Cuiabá nos primeiros meses do ano

Fonte:

O isolamento social causado pela pandemia do coronavírus, mudança radical de estilo de vida, medo de ser contaminado, falta de contato físico com amigos e familiares, e as notícias negativas, podem ser apenas algumas das situações que impulsionam problemas mentais, como ansiedade e depressão. Em Cuiabá, casos de suicídios aumentaram 110% durante os cinco primeiros meses deste ano. De janeiro a maio de 2019, dez pessoas tiraram a própria vida. Já no mesmo período de 2020, foram 21.

Os dados são da Secretaria do Estado e Segurança Pública (Sesp). Conforme a Sesp, Mato Grosso registrou 107 suicídios e no ano passado foram 80. Ou seja, houve aumento de 33,7% de um ano para o outro.

Contudo, Várzea Grande teve uma queda significativa. Nos primeiros meses do ano passado foram registradas sete mortes. Neste ano, apenas quatro. A queda foi de 42,85%.

Matéria continua após a publicidade

Dados contabilizados apenas nos meses de abril e maio, demonstram aumento de suicídios da  população mato-grossense. Neste período, os casos  e mortes da Covid-19 tiveram um salto, conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

O estresse é um fator de risco para vários transtornos mentais e o pânico pode ser disparado nos casos de maior ansiedade. Em Mato Grosso, durante abril e maio de 2020, foram registrados 34 suicídios.

No mesmo período deste ano, 42. Isso representa um aumento de 23,5%. Em Cuiabá, o número subiu de três para quatro. Em Várzea Grande eram quatro mortes em 2019, e somente uma neste ano.

A perda repentina de um emprego, a morte de um ente querido ou até mesmo a desilusão com um grande amor, são fatores que causam dor e impactam diretamente na vida de todo ser humano.

Não há estatísticas sobre pensamento suicida, ele é muito mais frequente do que se imagina, pois nem sempre esse pensamento é declarado às pessoas próximas, seja por medo de não ser compreendido ou por receio dos julgamentos. Ele aparece com mais frequência entre pessoas com algum tipo doença mental, em especial a depressão.

Olhar Direto separou uma lista de locais que ofertam atendimento psicossocial.

CUIABÁ

Centro de Atendimento Psicossocial Álcool, Drogas e Adolescência (CAPS Adolescer)

Segunda-Feira a Sexta-Feira, das 7h às 17h.
Avenida Romania, sem número – Bairro Jardim Europa
65 3617-1835 ou 65 3617-1836
Centro de Atendimento Psicossocial CPA (CAPS CPA)

Segunda-Feira a Sexta-Feira, das 7h às 17h.
Rua Pardal, Quadra 110 – Bairro CPA 4
65 3649-1968 ou 65 3649-6618

Centro de Atendimento Psicossocial 2 – Verdão (CAPS Verdão) – Atendimento Adulto

Segunda-Feira a Sexta-Feira, das 7h às 17h.
Rua Rio Grande do Sul, 504 – Bairro Jardim Paulista
65 3617-1830 ou 65 3617-1831

VÁRZEA GRANDE

Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD)

Segunda-Feira a Sexta-Feira, das 7h às 17h. Segunda-Feira a Quinta-feira, das 18h às 21h.
Avenida Castelo Branco, 2333 – Bairro Água Limpa
65 3688-3045 ou 65 98404-9468

Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil – Sérgio Luiz Ferreira da Silva (CAPSi)

Segunda-Feira a Sexta-Feira, das 7h às 17h
Rua Presidente Prudente de Moraes, 1130 – Bairro Ipase
65 3688-3046 ou 65 98464-6511

Centro de Atendimento Psicossocial Transtorno Mental (CAPS II)

Segunda-Feira a Sexta-Feira, das 7h às 17h
Rua Fenellon Muller, 579 – Bairro Centro
65 3688-3112 ou 65 98459-4676
Os endereços dos demais CAPS do estado de Mato Grosso podem ser

Tratamentos psicológicos a preços simbólicos são desenvolvidos em:

Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) – (65) 3615-8492
Universidade de Cuiabá (Unic)
Centro Universitário de Várzea Grande (Univag) – (65) 3688-6130
Faculdade de Cuiabá (Fauc)
Centro de Ensino, Pesquisa, Diagnóstico e Intervenção Psicológica – (65) 3025-2025

CVV

O CVV presta serviço voluntário e gratuito de prevenção do suicídio e apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os cerca de 3 milhões de atendimentos anuais são realizados por 3.000 voluntários em 104 postos de atendimento pelo telefone 188 (sem custo de ligação), ou pelo site via chat ou e-mail. A entidade realiza também ações presenciais, como palestras, cursos e grupos de apoio a sobreviventes do suicídio – GASS (https://www.cvv.org.br/cvv-comunidade/).

Fonte: Olhar Direto