Preso em MT tem histórico de assalto a carros fortes na região Nordeste

Fonte:

Um dos criminosos presos pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) na tarde da última segunda-feira (25) tem histórico de roubo a carros fortes na região Nordeste do país. Além dele, todos os outros também têm passagens por roubo a banco, o que leva a Polícia Civil a crer que fazem parte de uma organização criminosa. Os policiais não descartam, ainda, a participação de outras pessoas, e já investigam alguns suspeitos.

“Todos têm [passagem], inclusive um deles tem histórico de ações voltadas a carro forte na região Nordeste do país, informações essas já trocadas com colegas da policia civil do Rio Grande do Norte e de Pernambuco”, informou a delegada Juliana Palhares, em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (26).

Os homens foram presos na casa da avó de um deles, Eudes Barbosa da Silva Neto, velho conhecido das forças de segurança. Na casa havia quatro armas, sendo duas pistolas .9mm (uma pertencente à Polícia Rodoviária Federal), além de explosivos.

Matéria continua após a publicidade

A principal suspeita é de que esta organização criminosa tenha agido em duas tentativas recentes de assalto, uma à uma drogaria no antigo Posto Trevisan, e outra no supermercado Bom Gosto. Em ambas, os assaltantes não obtiveram êxito, visto que, em uma delas, trocaram tiros com o vigia (no mercado) e fugiram, e na outra (drogaria) até conseguiram levar o dinheiro, mas ele estava manchado de vermelho em decorrência do sistema antifurto.

Os quatro também seriam os que trocaram tiros com policiais militares das Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) na segunda-feira (25), data em que o subtenente Altamiro foi baleado na perna, e um criminoso, Maik Sanches Sabino, morreu. No local do crime, foi encontrado um dedo, o que dá ainda mais indícios da participação do grupo, visto que um dos presos estava sem os dedos.

Há, ainda, a possibilidade de que os quatro homens presos sejam membros do Comando Vermelho. “Tudo leva a enquadrar esses quatro integrantes presos hoje e o integrante que foi a óbito no confronto como parte de uma organização criminosa. Existem outras pessoas envolvidas? Com certeza. Os esforços agora são para identifica-los, já temos alguns suspeitos, e também prendê-los”, completou a delegada.

Fonte: Olhar Direto