Prefeituras cancelam Carnaval e acirram medidas contra covid

Fonte:

As prefeituras de Araguaiana (563 km a leste de Cuiabá) e Itiquira (357 km ao sul da Capital) baixaram novas medidas restritivas diante do aumento de casos de covid-19. Dentre as novas normativas estão a proibição do Carnaval e de outras festividades que possam provocar aglomerações.

Nessa quarta-feira (19), o prefeito de Araguaiana, Getúlio Dutra Vieira (PSB), baixou o decreto nº6/2022 que determina a proibição expressa de festividades no território. A medida leva em consideração o aumento de contágios pela covid-19 no município.

Segundo o último boletim emitido pela Secretaria Municipal de Saúde, Araguaia registrou até o momento 426 contágios, sendo que em 409 as pessoas se recuperaram do vírus. Contudo, 8 populares morreram, dois seguem hospitalizados e 7 em isolamento.

Matéria continua após a publicidade

Já na cidade de Itiquira, Fabiano Dalla Valle (PP) determinou, por meio do decreto nº 8/2022, a proibição da realização de festas de Carnaval seja a festa organizada pelo poder público ou pela iniciativa privada.

Dados do painel da covid, alimentado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostram que Itiquira registrou 901 contágios pela doença. Deste montante, em 824 casos as pessoas se recuperaram. Há ainda 59 em monitoramento, uma internada e 16 óbitos pelo vírus.

Cerco fechado

Além de Araguaiana e Itiquira, outras cidades têm adotado posturas mais rígidas frente ao avanço da pandemia em Mato Grosso. Conforme noticiado pela reportagem, Tangará da Serra, Jangada e Nova bandeirantes publicaram decretos restritivos nesta semana.

Dentre as medidas determinadas nas normativas havia desde instituição da quarentena obrigatória e do toque de recolher até proibição de festividades, tanto públicas quanto privadas por conta do potencial de gerarem aglomerações.

Pandemia em alta

Dados do boletim epidemiológico da SES de quarta-feira mostram que Mato Grosso registrou até o momento 585.967 contágios, sendo que em 552.498 casos as pessoas se recuperaram da doença.

Contudo, houve até o momento 14.158 mortes pelo vírus. Além disso, dados da pasta apontaram que havia até a tarde de quarta-feira pouco mais de 18,5 mil pessoas em isolamento domiciliar.

A taxa de uso das Unidades de Terapia Intensiva no estado era de 69,31%, enquanto a mesma taxa de uso para leitos de enfermarias estava na casa dos 30%. Ambos os índices assim como os demais números da pandemia voltaram a subir no estado ao longo das últimas semanas, depois das festividades de final de ano.

No Brasil, os números da doença bateram recorde na quarta-feira, data em que o país registrou 205.310 mil novas notificações ao longo das últimas 24 horas. Antes disso, o maior valor notificado em um dia fora de 100.322 mil ocorrências.

Fonte: Gazeta Digital