Mauro aponta equívoco e vai a Brasília para destravar BRT nesta terça

Fonte:

O governador Madero Mendes (União) vai a Brasília nesta terça-feira (10) para tentar reverter a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), que determinou a suspensão de procedimentos para as obras do BRT (Ônibus de Rápido Transporte) em Cuiabá e Várzea Grande.

Na noite desta segunda-feira (9), o chefe do Poder Executivo reiterou que a Prefeitura de Cuiabá induziu o ministro do TCU, Aroldo Cedraz, ao erro em vários pontos do processo. Segundo ele, o órgão não pode interferir na construção do modal por não utilizar verba da União.

“Isso foi um grande equívoco numa ação onde a prefeitura induziu o TCU ao erro. Primeiro que é verba federal, já que o governo do Estado quitou o financiamento com o dinheiro dos mato-grossenses. Se não tem verba federal, não tem porque o TCU interferir”, disse durante a entrega de títulos de regularização fundiária em Várzea Grande.

Matéria continua após a publicidade

A suspensão das obras foi proferida por meio de uma decisão liminar publicada na última sexta-feira (6) e acatou o pedido do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), que solicitou a suspensão por possíveis irregularidades na decisão do governador Mauro Mendes (União) em abandonar o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) em prol do BRT.

Emanuel é a favor do VLT e desde que foi anuncia a troca de modais vem tentando travar as obras de implantação do BRT por meio da Justiça.

Mendes, por vez, pontuou que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) já foi acionada para recorrer da decisão e que pretende esclarecer os equívocos presencialmente ao ministro, durante a reunião que será realizada nesta terça.

Membros da bancada federal de Mato Grosso também devem acompanhar o gestor na articulação. “Isso pra mim é farpas contadas, é mais um pequeno detalhe que com certeza vamos conseguir reverter”, finalizou.

Fonte: Gazeta Digital