Lotada, Unimed contrata leitos de UTI no Hospital Geral e Santa Helena

Fonte:

Durante transmissão na live do Gazeta Digital nesta tarde de sexta-feira (3), a presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM), Hildenete Monteiro, afirmou que a Unimed contratou leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Geral e Hospital Santa Helena.

Questionada sobre a realidade da pandemia de coronavírus na saúde particular, a presidente foi incisiva: tanto a rede privada quanto a particular estão passando por dificuldades para disponibilizar leitos de UTI aos pacientes diagnosticados com covid-19.

“Está muito complicado a situação, qualquer local que você for, está lotado”, alerta Hildenete. “Temos conhecimento de que tem hospitais de pronto atendimento comunicaram o Conselho Regional. Eles não têm condições de atender o paciente, porque a sala de espera e o hospital está lotado”.

Matéria continua após a publicidade

A presidente ainda explica que diante do colapse da saúde, os hospitais podem inclusive responder por omissão de socorro, caso não atendam os pacientes. A Unimed então buscou leitos em outras unidades hospitalares.

“A Unimed contratou leitos de UTI no Hospital Geral para a covid, do Hospital Santa Helena. Então está aumentando, está tentando pegar também. A Unimed está fazendo a parte dela, no sentindo de tentar melhorar os leitos, para ajudar na internação”, disse ao Gazeta Digital.

Contudo, a médica volta a enfatizar a situação caótica da saúde. Muitas pessoas internadas estão na fila, aguardando um leito de UTI. “A situação é grave, tanto no público quanto no privado. Praticamente estamos com poucos leitos para internação. Muitas das pessoas que estão nos leitos clínicos, estão na fila de espera para leitos de UTI, então a situação é séria”, atenta.

De acordo com dados do último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), na quinta-feira (2), Mato Grosso tinha 240 leitos de UTI adulto exclusivos para tratar casos de covid-19, sendo que 226 estão sendo usados. A taxa de ocupação é de 94,2%.

Não há mais vagas no Hospital Regional de Sorriso, Regional de Sinop, Hospital São Luiz (Cáceres), Pronto-socorro de Cuiabá, Pronto-socorro de Várzea Grande e Santa Casa de Rondonópolis.

Outro lado

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Unimed, mas até o fechamento desta matéria, não obteve resposta. A nota de esclarecimento será acrescentada assim que for encaminhada.

Fonte: Gazeta Digital