Sociedade entre MT Gás e estatal boliviana pode garantir suprimento

Fonte:

Mato Grosso e Bolívia avançaram nas tratativas para a retomada do abastecimento de gás natural ao Estado, interrompido de forma definitiva desde junho do ano passado. A solução pode estar na criação de uma sociedade entre as estatais responsáveis pela comercialização da matriz: a Companhia Mato-grossense de Gás (MT GÁS) e a estatal boliviana Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB).

A proposta foi discutida na tarde de hoje, durante reunião, no Palácio Paiaguás, entre o governador Mauro Mendes e a comitiva da Bolívia. O encontro foi o segundo em menos de um mês. No primeiro, uma comitiva estadual, liderada pelo governador, foi até Santa Cruz de la Sierra tratar da retomada do abastecimento do gás natural.

“Esta é a segunda reunião com o governo boliviano e as conversas já avançaram para que seja possível firmar uma parceria de longo prazo para o fornecimento do gás da Bolívia”, garantiu Mendes. Em Mato Grosso, a estatal foi representada pelo ministro de Hidrocarburos, Luis Alberto Sánchez Fernández e pelo seu o presidente, Oscar Barriga Arteaga.

Matéria continua após a publicidade

Com uma demanda regional estimada em 70 milhões de m³ ao mês, Mato Grosso deve firmar sociedade para garantir o fornecimento de 2,5 milhões de m³ ao dia de forma contínua, ou seja, a com entrega da quantia contratada sem interrupções.

“Essa possibilidade {da sociedade} agradou aos bolivianos e faz sentido para que tenhamos uma empresa que realmente tenha o gás e que possa fazer dessa matriz energética uma alternativa não só veicular, mas para o desenvolvimento das indústrias na Baixada Cuiabana”, argumentou o governador.

Para o ministro de Hidrocarburos, Luis Alberto Sánchez Fernández, a agenda representa mais um passo para viabilizar uma sociedade que possibilitará a comercialização e distribuição do gás. “Estamos dando a confiabilidade de abastecimento do mercado e a oportunidade de industrializar os produtos agrícolas. Os benefícios são preços muito competitivos de gás, fertilizantes e o resultado é o desenvolvimento local”.

O presidente da Companhia Mato-grossense de Gás (MT GÁS), Rafael Reis, destacou que há um planejamento para dar resposta à sociedade mato-grossense a curto, médio e longo prazos. A intenção é que em um curto espaço de tempo já seja possível precisar a retomada do fornecimento ao Estado”. A próxima rodada de conversas entre os governos está agendada para o mês que vem. Já foi criado um grupo de trabalho com representantes dos dois governos, para que nos próximos 15 dias, sejam elencados todos os pontos que embasarão a formalização da parceria.

O GÁS – A articulação para acabar com o desabastecimento do Estado, que está sem fornecimento de gás desde junho de 2018, começou há três meses, após uma reunião no Rio de Janeiro em que o governador requereu da Petrobrás a liberação para comprar o gás natural diretamente da Bolívia.

Fonte: Cuiabano News