Pinheiro falsificou balanço de 2019 da prefeitura, diz governador

Fonte:

As desavenças entre o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), foram ainda mais acirradas nesta terça-feira (2). O democrata entornou a discussão ao revelar uma denúncia de que o emedebista teria falsificado o balanço anual do Executivo municipal do ano de 2019.

Em coletiva de imprensa, Mendes defendeu que o governo estadual não deve nada a nenhuma prefeitura do estado. Além disso, o governador questionou o total de restos a pagar da gestão municipal.

“A partir do dia primeiro de janeiro de 2019, quando eu virei governador deste estado, nós não devemos nenhum centavo a nenhuma prefeitura de Mato Grosso. Veja como está o resto a pagar que este cara deixou. Aliás, vou falar outra coisa aqui agora, eu vi uma denúncia assinada pelo Marcelo Bussiki que ele falsificou o balanço de 2019. Eu vou tornar público isso aqui: o prefeito de Cuiabá falsificou o balanço da prefeitura de 2019. Marcelo Bussiki assinou esta denúncia”, disparou Mendes.

Matéria continua após a publicidade

Representação no TCE

A denúncia citada pelo governador foi uma representação que os vereadores Marcelo Bussiki e Felipe Wellaton apresentaram ao Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), no qual os parlamentares apontam que Pinheiro teria maquiado dados para “artificializar” indicadores fiscais do município – sobretudo quanto à Capacidade de Pagamento (Capag) de Cuiabá, que subiu para nota B neste ano.

À época em que a melhora no Capag foi apresentada, o prefeito apontou que o índice tornava Cuiabá um “case de sucesso”. “Somos um case de sucesso em um momento no qual as maiorias das Capitais e boa parte dos Estados se encontram em uma crise fiscal sem precedentes. Para se ter uma ideia, na Poupança Corrente, que representa o equilíbrio entre despesa e receita, estamos com nota B”, disse Pinheiro.

Além disso, segundo a denúncia, cerca de um terço das despesas empenhadas teriam sido anuladas do balanço. O montante representa uma quantia na ordem de R$ 326 mil, que constavam nos sistemas como “Outras Despesas Correntes (ODC)”.

Em resposta, a prefeitura apontou que as contas de 2017 foram aprovadas, as de 2018 receberam parecer favorável e, por fim, o balanço de 2019 ainda será apreciado.

“O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro, afirmou que “a quem acusa cabe o ônus da prova”. Reitera que suas contas foram aprovadas em 2017 pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Quanto as contas de2018,  já receberam parecer favorável da Corte, que ainda  irá apreciar a documentação referente ao ano de 2019”, apontou o Executivo municipal.

Desafio dos leitos

Além de revelar a denúncia de suposta falsificação de dados, Mendes também desafiou o prefeito de Cuiabá a provar quantos são e onde estão os novos leitos construídos implementados pela prefeitura nos últimos dois meses.

O desafio foi lançado após uma polêmica envolvendo o governo e a gestão estadual sobre o número total de leitos para pacientes de Covid-19 disponíveis em Cuiabá. Segundo acusação de Mendes, inicialmente havia 145 leitos divulgados pela cidade e, depois, o número oficial seria de apenas 105.

“Então, o desafio está lançado. Prefeito, o senhor está desafiado a mostrar se o senhor abriu nos últimos 60 dias, até o dia de hoje, alguma UTI nova em Cuiabá. Como ele não consegue responder isso, é muito óbvio que ele fica jogando conversa ao vendo, fazendo conversa fiada, mentindo descaradamente”, apontou Mendes.

Fonte: Hipernotícias