Não é só o coronavírus! Vespas assassinas chegam ao continente e alarmam os EUA; vídeos

Fonte:

O coronavírus deixou de ser a única preocupação dos norte-americanos este ano. Um dos assuntos mais comentados no país nos últimos dias, foi a chegada da espécie vespa asiática, chamada de “assassina” que começou a espalhar e trouxe forte temor à população dos Estados Unidos. A reputação da espécie não é à toa, conforme mostra vídeo que viralizou na internet (veja mais abaixo).

A mortal vespa asiática gigante foi vista pela primeira vez nos Estados Unidos, despertando alarme sobre a população de abelhas já vulnerável e muito barulho nos últimos dias nas redes sociais, em meio ao confinamento pela pandemia de coronavírus.

Dois espécimes da também chamada “vespa assassina”, ou Vespa mandarina segundo sua denominação científica, foram encontrados no estado de Washington (noroeste) no final do ano passado e, desde então, cientistas se concentram em rastrear a presença de mais exemplares para erradicá-los.

Matéria continua após a publicidade

Essa espécie de vespa pode medir mais de 5 centímetros e matar uma pessoa com o seu veneno, se a vítima for atingida pelo ferrão algumas vezes, disseram cientistas da Universidade Estadual de Washington (EUA).

Em um vídeo abaixo, a vespa gigante, de origem asiática, mata um rato em menos de um minuto. Detalhe: o roedor tem três vezes o tamanho do inseto.

Veja imagens da abelha asiática atacando um rato

O inseto é nativo da Ásia Oriental e do Japão e pode medir cerca de 5 cm, quase oito quando se leva em consideração a envergadura das asas. É corpulento e, com um veneno poderoso e uma mandíbula afiada, é capaz de invadir e “massacrar” uma colmeia de abelhas em questão de horas.

Karla Salp, porta-voz do departamento de Agricultura de Washington, afirma que “como a maioria das espécies invasoras, não há como saber como o vespão asiático gigante chegou à América do Norte”. “Existem várias teorias, mas todas são suposições e provavelmente nunca saberemos”, acrescentou. Uma delas diz que vieram em um contêiner de carga por acaso.

Armadilhas foram colocadas em toda a região para capturar outras vespas que possam estar na área, para impedir que se espalhem na América do Norte e se estabeleçam permanentemente.

“Neste período de armadilhas e com a ajuda da educação pública e o incentivo para informar sobre avistamentos suspeitos, esperamos ter uma ideia melhor de onde estão para erradicá-los”, considera Salp.

O único ninho encontrado até agora na América do Norte foi destruído em Nanaimo, ilha de Vancouver.

Fonte: Da Redação/Extra/Isto É