Ministério aprova retomada do VLT em MT e obras devem ser reiniciadas, diz Vuolo

Fonte:

O VLT Cuiabá-Várzea Grande deve ter suas obras retomadas em breve e se tornará em uma realidade nos próximos meses. Essa é a expectativa após o relatório final do Grupo de Trabalho (GT), criado pela Portaria nº 1.674 de 12 de julho de 2019, publicada pelo então Secretário Nacional de Mobilidade, Jean Pejo, formado por representantes da Secretaria Nacional de Mobilidade do Ministério do Desenvolvimento Regional, do Governo do Estado de Mato Grosso e da Caixa Econômica Federal.

A revelação foi feita pelo economista e coordenador do Movimento Pró VLT, Vicente Vuolo, que diz ter colhido as informações diretamente do Ministério do Desenvolvimento Regional no Grupo de Trabalho (GT). Segundo Vuolo, o GT concluiu os estudos técnicos para a retomada das obras do VLT no dia 6 de março de 2020. “Assim que terminou os trabalhos, foram realizadas reuniões com o novo Ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogerio Marinho, e com dois Secretários do Governo do Estado de Mato Grosso”, afirma.

“Considerando o estágio avançado das compras dos equipamentos, acho difícil uma mudança de rumo muito radical”. Ou seja, os vultosos investimentos realizados com a compra de 280 vagões, a construção da estação de passageiros de Várzea Grande, bem como 3,5 km de trilhos eletrificados do aeroporto até a entrada do bairro Cristo Rei e a ponte de 224 metros sobre o rio Cuiabá não podem ser menosprezados. As obras devem ser retomadas imediatamente, pois existem recursos depositados na conta do governo do Estado suficientes para a conclusão do trecho Aeroporto–Porto–Centro”, afirma Vuolo.

Matéria continua após a publicidade

Vuolo afirma que dentro de um ano, o primeiro trecho do VLT já deverá estar rodando, de acordo com um técnico do MDR: “Logo que o governador do Estado marcar a data para a retomada das obras, muito provavelmente, dentro de um ano esse trecho inicial poderá estar funcionando. É o tempo suficiente para o Governo do Estado escolher a melhor opção para a operação dos trens e a extensão dos trilhos até o CPA e o Coxipó”, disse o técnico.

A decisão de priorizar o transporte sobre trilhos vai de encontro à política de transporte do Governo Federal. O presidente da República assinou o Decreto nº 10.387, de 5 de junho de 2020, seguindo tendência mundial para o setor de mobilidade urbana com prioridade para o VLT. “A cada dia o VLT vem ganhando mais importância no mundo. A pandemia que exigiu o isolamento social transformou as nossas vidas. A mobilidade urbana ganhou mais importância. O transporte limpo, confortável, saudável, ecologicamente correto tornou-se prioridade. O Veículo Leve sobre Trilhos já está operando em 388 cidades, transportando mais de 14 bilhões de passageiros. O povo cuiabano e várzea-grandense espera ansioso pela inclusão nesse rol das cidades inteligentes”.

Para Vuolo, é chegado o momento de iniciar uma verdadeira revolução na mobilidade urbana das duas maiores cidades do Estado. “É o que pensam engenheiros, arquitetos, urbanistas e as entidades das mais representativas de Mato Grosso. Isso é pensar no futuro de forma positiva. Faz com que a gente desenvolva a resiliência, que é a capacidade de lidar com o inesperado e se reinventar. O momento é de união de esforços para trazer o que existe de melhor em mobilidade urbana para a nossa terra”, enfatiza.