Médico de Cuiabá afirma já ter contraído coronavírus 2 vezes; caso é investigado

Fonte:

pós médico de Cuiabá, A.R.L., um clínico geral que prefere não se identificar, afirmar que contraiu coronavírus duas vezes, o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, disse em live sobre a pandemia de Covid-19 nesta manhã (2), que o caso está sob investigação epidemiológica, mas desconhece no mundo outro semelhante. Ele não confirma e nem nega a ocorrência como sendo reincidência da doença em um mesmo paciente. “Primeiro precisamos investigar”, diz o secretário.

Segundo ele, não dá para ter certeza absoluta, porque lhe parece que um dos testes feito pelo médico foi o PCR, que considera seguro, e o outro, um teste rápido, que pode ter falhado.

O secretário comentou ainda que várias variáveis podem ter levado a esta suposição. “Uma delas é que ele sequer tinha ainda se curado totalmente da primeira infecção”.

Matéria continua após a publicidade

Sendo assim, considera prematuro fazer afirmações antes de terminar a investigação do caso.

Assessoria do médico diz que há sim outros casos semelhantes, como o de um outro médico de Parintins, no interior do Amazonas, o anestesista Daniel Tanaka, diretor clínico de um hospital público. Ele afirma que se reinfectou.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que não há evidência de que pacientes recuperados da Covid-19 sejam totalmente imunes à reinfecção.

O médico de Cuiabá relata que testou positivo pela primeira vez no dia 15 de abril,  por meio de um exame de PCR. Na primeira infecção, seus sintomas foram leves e ele teve incomodo na garganta. Com o fim do tratamento domiciliar, retornou ao trabalho e já não apresentava nenhum sintoma. Semanas depois, voltou a realizar o teste rápido no dia 12 de maio, com resultado negativo, ou seja, o sistema imunológico não apresentava mais traços da doença. Em maio, o paciente sentiu dores nas costas e realizou uma tomografia, que mostrou que seu pulmão estava limpo.

Quando tudo parecia já ter passado, no final do mês, começou a sentir sintomas como dores no corpo, coriza, e cansaço. No dia 25 de maio, coletou um novo exame de PCR. O resultado saiu nesta segunda  (1) e deu positivo. Veja abaixo a íntegra da nota que a assessoria do médico emitiu:

“O paciente que é clínico geral, e prefere não se indentificar, testou positivo para covid-19 pela primeira vez no dia 15 de abril,  por meio de um exame de PCR. Na primeira infecção, seus sintomas foram leves e ele teve incomodo na garganta.

Como fim do tratamento domiciliar o paciente retornou ao trabalho e,  já não apresentava nenhum sintoma.

Semanas depois, o médico voltou a realizar o teste rápido no dia 12 de maio, que teve o resultado negativo, ou seja, significa que seu sistema imunológico não apresentava traços da doença.

Em maio, o paciente sentiu dores nas costas e realizou uma tomografia, que mostrou que seu pulmão estava limpo.

No final do mês, ele começou a sentir sintomas como dores no corpo, coriza, e cansaço. No dia 25 de maio coletou um novo exame de PCR. O resultado do exame saiu nesta segunda-feira (1), no qual houve um novo positivo para Sars-Cov-2, quarenta dias depois da primeira infecção.

Uma nova tomografia mostrou, dessa vez, que o pulmão do paciente estava com alguns pontos do vírus.

O paciente segue em isolamento domiciliar, desde que recebeu o resultado, sem ter contato com a família ou qualquer outra pessoa.

O caso é avaliado pelos especialistas e o paciente deve passar por novos exames.”

Fonte: RD News