Líder sindical revela que há mais profissionais da saúde internados em estado grave em MT

Fonte:

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde, Oscarlino Alves, lamentou a morte do enfermeiro Athaide Celestino da Silva, registrada no sábado (02), e apontou que há outros profissionais da saúde internados em estado grave em Cuiabá.

Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Saúde, Oscarlino Alves

Ao HNT/HiperNotícias, o sindicalista disse que uma enfermeira que foi internada no mesmo período em que Athaide segue lutando pela vida em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

A mulher de 49 anos estaria em estado grave na UTI por conta de complicações devido ao fato de ter diabetes e fazer parte do grupo de risco para a Covid-19, o coronavírus.

Além disso, o sindicalista revelou que uma técnica de enfermagem precisou ser hospitalizada na última semana e segue sob acompanhamento médico.

Matéria continua após a publicidade

A liderança emitiu um sinal de alerta à sociedade para que não menospreze o potencial de morte do vírus. “Muitas pessoas banalizam a situação. Nós recomendamos que os cuidados continuem sendo tomados”, disse Oscarlino ao lembrar sobre a necessidade de manutenção das medidas sanitárias de enfrentamento à Covid-19.

Além disso, o presidente do sindicato também cobrou do poder público um somatório de medidas para que a atuação dos profissionais da saúde possa ocorrer com maior salubridade neste período de pandemia.

“O que nós cobramos do governo neste momento são três pontos muito específicos. O primeiro é liberar nosso grupo de risco, depois oferecer os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados, em quantidade adequada, e fazer mais testagem dos profissionais da saúde”, apontou Oscarlino.

Segundo dados da secretaria de Estado de Saúde (SES), Cuiabá é a cidade com maior número de casos registrados de contágio pela Covid-19. Em todo Mato Grosso, até a tarde de sábado, 333 ocorrências de coronavírus foram registradas, das quais 141 eram da Capital.

Neste cenário de aumento recorrente do espalhamento da pandemia no estado e incidência na Capital, o Executivo municipal aponta para um caminho de flexibilização dos decretos e retomada gradativa das atividades.

Este sistema de relaxamento das medidas já foi citado como sendo um dos fatores do agravamento da pandemia, inclusive pelo secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Fonte: Hipernotícias