Câmeras vão começar multar no trânsito de Cuiabá

Fonte:

Na próxima semana, as 32 câmeras de videomonitoramento espalhadas por diversas regiões de Cuiabá passam a gerar multas. A aplicação de infrações por meio das câmeras ficou suspensa por 120 dias, desde o dia 6 de março, mas, conforme a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, passa a valer já no próximo dia 6. 

A Prefeitura pediu prazo de 120 dias para concluir a campanha educativa, que alerta os motoristas para não trafegarem pelas vias exclusivas para os coletivos, por exemplo. Segundo a Semob, são vários tipos de infrações que passam a ser multados pelas câmeras. As mais corriqueiras registradas são: avançar os semáforos, dirigir falando ao celular, não usar cinto de segurança, parar nas faixas de pedestres, invadir faixas exclusivas para ônibus, entre outras. 

Somente neste ano, no período de janeiro a maio, foi registrado um total de 175 mil multas, sendo 22,77% manuais e 77,23% eletrônicas. Uma das infrações mais cometidas é o uso do celular enquanto dirige. Entre janeiro e 13 de junho de 2017, a Semob registrou 3.760 infrações, incluindo uso do celular. 

Matéria continua após a publicidade

O sistema de videomonitoramento foi implantado em 2015, em Cuiabá. Segundo a Semob, ele não serve apenas para multar os motoristas cuiabanos. O sistema atua, principalmente, na prevenção e orientação aos acidentes, auxiliando os agentes na Semob a conduzirem o trânsito com qualidade na medida do possível, uma vez que, as câmeras de videomonitoramento não respondem pela conduta individual dos motoristas infratores. 

Com câmeras instaladas em altitudes de até 20 metros, o videomonitoramento é terceirizado pelo Consórcio CMT, empresas com sede em São Paulo. O trabalho é feito por equipamentos em alta resolução, de 1.280 a 780 FULL HD. que permite qualidade das imagens. 

As câmeras estão instaladas nos principais pontos de conflitos da cidade, nas avenidas como Miguel Sutil, Fernando Correa da Costa, CPA, Prainha, 15 de Novembro e Beira-Rio, em viadutos, trincheiras e próximas de polos geradores de tráfegos, como igrejas, comércios e escolas. Levantamento do primeiro quadrimestre realizado pelo Detran-MT aponta que 6.603 foram autuados por transitar em faixa ou via exclusiva regulamentada para transporte público coletivo. Em toda a cidade, são mais de 10 quilômetros de corredor exclusivo nas avenidas Isaac Povoas, Getúlio Vargas e Historiador Rubens de Mendonça. 

Mesmo configurando como infração grave, resultando em cinco pontos na carteira e multa de R$ 127,69, muitos “apressadinhos” se aventuram em utilizar irregularmente as faixas exclusivas. Tanto que esta é a sexta infração mais cometida em Cuiabá, segundo o Detran. 

As câmeras auxiliam a Semob na fiscalização dos infratores que trafegam pela faixa exclusiva de ônibus, além de avanço de semáforos e velocidade acima da permitida. Com exceção à legislação municipal, só é permitida a entrada, nas faixas exclusivas, quando os motoristas tiverem que fazer a conversão à direita para acessar estacionamentos, comércios, ruas e avenidas, que façam parte do trajeto.