Boa notícia! Estudos apontam que remédio contra malária trata o coronavírus

Fonte:

Estudos realizados tanto nos laboratórios de Stanford, nos Estados Unidos, como em Marselha, na França, revelam que remédios utilizados contra a malária (cloroquina) podem tratar pacientes infectados pelo coronavírus. O estudo francês, por exemplo, realizado com 24 pacientes infectados pelo Covid-19, mostrou que o remédio antimalárico fez com que o vírus desaparecesse em 75% deles. Nos EUA, com 40 infectados testados, a cura foi de 100%.

Por conta disso, o grupo Sanofi anunciou que pode disponibilizar imediatamente milhões de doses do remédio antimalária. Segundo o laboratório francês, o volume oferecido poderia tratar potencialmente 300 mil casos de doentes, depois que testes indicaram que a cloroquina traz bons resultados contra o coronavírus. O estudo realizado por uma equipe médica de Marselha, no sul da França, é encorajador, disse um porta-voz da Sanofi.

A boa notícia é que a cloroquina tem baixo custo e sem risco e é utilizada há mais de 70 anos. E de acordo com os pesquisadores chineses, um tratamento de 500 mg de cloroquina por dia durante dez dias seria suficiente.

Matéria continua após a publicidade

Grupo já disponibiliza remédios

O grupo Sanofi anunciou nesta quarta-feira (18) que pode disponibilizar imediatamente milhões de doses do remédio antimalária Plaquenil (Cloroquina no Brasil). Segundo o laboratório francês, o volume oferecido poderia tratar potencialmente 300 mil casos de doentes com o novo coronavírus, depois que testes indicaram que a cloroquina dá bons resultados contra o Covid-19.

O estudo realizado por uma equipe médica de Marselha, no sul da França, é encorajador, disse um porta-voz da Sanofi. O laboratório também indicou que está disposto a trabalhar com as autoridades francesas para “confirmar esses resultados”.

A cloroquina, remédio indicado normalmente no tratamento da malária, poderia ajudar no desaparecimento do vírus, afirmou na segunda-feira (16) o professor Didier Raoult, especialista em doenças infecciosas e diretor do Instituto Mediterrâneo de Infecção de Marselha. Ele realizou a pesquisa em 24 pacientes com Covid-19. Seis dias após terem começado a tomar o antimalárico, o vírus tinha desaparecido em 75% deles.

Baixo custo

A cloroquina é um medicamento de baixo custo e sem risco, utilizado há mais de 70 anos. De acordo com os pesquisadores chineses, um tratamento de 500 mg de cloroquina por dia durante 10 dias seria suficiente. “Esse tratamento, que não custa praticamente nada, é uma notícia é extraordinária”, disse o professor Raoult, para quem o antimalárico deve ser privilegiado à pista da vacina, que demoraria mais a ser disponibilizada.

O laboratório francês Sanofi também trabalha no desenvolvimento de uma vacina e anunciou na última sexta-feira (13) a criação de um fundo para apoiar os esforços de pesquisas das equipes dos hospitais públicos de Paris na luta contra o coronavírus.

Fonte: Mercado e Eventos/Uol