Bandas de lambadão fazem sucesso no país inspiradas na Covid-19; vídeos

Fonte:

O lambadão já é um ritmo reconhecido em diversas partes do país e teve sua origem de uma outra lambada, a paraense, que se fundiu ao rasqueado e o gênero de origem indígena, carimbó. Garimpeiros que permaneceram por essas bandas nos anos 70 e 80 foram fundamentais para a consolidação da mistura.

Nessa época, Cuiabá também chegou a ser a cidade mais populosa do país. Além dela, muita gente fazia morada em cidades como Poconé, Rosário Oeste e Várzea Grande – lugares que até hoje o lambadão mato-grossense, cuiabano, tem sua vez.

Já são comuns, desde esse período, composições inusitadas ou que tratam de algum assunto do “momento”. O coronavírus não ficou de fora do repertório de alguns grupos do gênero. Hits têm tocado nos carros de som, áreas de casa ou só no youtube mesmo (já que os eventos estão vetados). São músicas comparando o sofrimento amoroso com o coronavírus, outras letras pedindo a conscientização. Bandas fizeram clipes que deram o que falar – seja por críticas negativas ou positivas.

Matéria continua após a publicidade

Entre os mais polêmicos, uma paródia conhecida como “meme do caixão” que gira a internet com uma dancinha de homens ganeses vestidos formalmente, como se estivessem em um enterro, e dançam uma coreografia. O meme retrata a cultura de um determinado povoado africano que festeja tanto a morte, quanto o nascimento. O vídeo ganhou várias versões de músicas pelo mundo e, em Mato Grosso, a paródia com uma roupagem da música “Previna-se” do grupo Tropical Estyllus”, e a canção foi a primeira música dos compositores. “Nós estavamos gravando outras músicas e chegou a pandemia, foi quando o Reginaldo teve a ideia de escrever uma canção sobre o coronavírus e lançamos”, lembra Caio, durante a entrevista.

Por conta da pandemia, os membros da banda não se apresentaram nenhuma vez, mas já são músicos dos palcos de lambadão de longa data. Outro hit do momento tem usado a canção na pegada mais romântica que recebeu o nome de “Coronavírus Nunca me Assustou” da banda Embalo Sim. “Essa música apenas regravamos na nossa versão, que é o lambadão. Ela é de autoria de um cantor e compositor famoso Chamado Tierry. Tivemos sorte de viralizar com a Embalo Sim”, comenta Weslem Fernando, o vocalista.

Na internet, a música já conta com mais de 500 mil visualizações. Chegou a embalar na Suíça, Portugal e Itália.

O músico Miguel da banda Escorte Som conta que também teve a ideia de escrever uma música de prevenção, ouvindo a falar nos jornais. “Fizemos até um clipe para incentivar a população a se cuidar melhor”, descrevendo os métodos de prevenção. O grupo também tem uma canção gravada com João Carreiro e Capataz que tocou em todo Brasil. Ao todo, são 10 compotentes que somam trinta anos de estrada no lambadão. Todos os vídeos estão disponíveis no youtube.