Abílio Júnior deve mudar de partido para concorrer à Prefeitura

Fonte:

Um dos maiores opositores e críticos da administração do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), pode concorrer concorrer com ele nas eleições municipais de 2020. Trata-se do vereador Abílio Júnior (PSC), que depois de uma reunião na manhã desta quarta-feira (17) com os deputados estaduais Elizeu Nascimento e Ulysses Moraes, ambos do partido Democrata Cristão (DC), decidiu se filiar ao Democrata Cristão e disputar uma vaga no Palácio Alencastro.

Contudo, nesta reunião, também teria ficado acordado que caso o vereador Felipe Welanton (PV), que também pleiteia a disputa pela prefeitura de Cuiabá, estiver melhor nas pesquisas e  tenha o apoio de toda a base de oposição, será ele o escolhido para a disputa contra Pinheiro.

Não é novidade que o clima tem ficado cada vez mais tenso entre Pinheiro e os vereadores do bloco de oposição. Tanto, que o prefeito chegou a dizer que vai entrar com uma ação judicial contra os parlamentares, que segundo ele, andam falando mal dele. Emanuel chegou a chamá-los de “molecada” e dizer que eles fazem denúncias de forma irresponsável. As principais denúncias dos vereadores do bloco de opisição estão relacionadas a área da Saúde. Os parlamentares fazem visitas frequentes às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), além do novo Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá, que segundo eles não poderia ter sido inaugurado da forma como está.

Matéria continua após a publicidade

Nos últimos dias muito tem se falado em um movimento político articulado por vereadores da oposição e políticos afins para que seja lançado um manifesto suprapartidário “Pró Cuiabá 2020”.  O objetivo é apresentar uma candidatura rumo eleições municipais para fazer frente a Pinheiro, que saiu desgastado das comemorações dos 300 anos de Cuiabá por ter deixado a desejar em termos de inaugurações de obras, anunciadas previamente por ele.

Além dos citados, também teriam se colocado como futuros pré-candidatos os vereadores Diego Guimarães (PP), Marcelo Bussiki (PSB) e Dilemário Alencar (PROS).

Fonte: PNB Online